Arquivo X

Lava-Jato prende ex-ministro da Fazenda Guido Mantega

Nova etapa da operação investiga contratação de empresas para a construção das plataformas P-67 e P-70 para a exploração de petróleo na camada do pré-sal pela Petrobras

Por: Zero Hora
22/09/2016 - 06h51min | Atualizada em 22/09/2016 - 10h33min
Lava-Jato prende ex-ministro da Fazenda Guido Mantega Marcelo Camargo/ABR
Foto: Marcelo Camargo / ABR

O ex-ministro da Fazenda Guido Mantega foi preso temporariamente na manhã desta quinta-feira, na 34ª fase da Operação Lava-Jato. Batizada de Arquivo X, a etapa investiga a contratação pela Petrobras de empresas para a construção de duas plataformas para exploração de petróleo na camada do pré-sal. 

A investigação apontou que as empresas OSX Construção Naval e Mendes Júnior se associaram na forma de consórcio para obter os contratos para erguer as plataformas P-67 e P-70, embora não possuíssem experiência ou estrutura para executarem a operação. 

Conforme a Lava-Jato, Mantega teria pedido ao empresário Eike Batista, ex-presidente do Conselho de Administração da empresa OSX, para que fizesse um pagamento de R$ 5 milhões em favor do PT. Seria uma compensação pelo contrato firmado com a Petrobras.

Leia mais:
Relembre todas as fases da Lava-Jato
Mantega teria intermediado repasse de R$ 5 milhões para políticos
Quem é Guido Mantega, ex-ministro da Fazenda preso pela Lava-Jato
Sergio Moro é recebido com status de pop star em palestra em Novo Hamburgo

A informação consta no depoimento do empresário, que falou ao Ministério Público Federal (MPF). A etapa da operação faz uma referência às empresas de Eike, que tem como marca o "X" nos nomes das pessoas jurídicas do conglomerado.

Mantega teria atuado diretamente junto ao comando da empresas de Eike para negociar o repasse de recursos para o pagamentos de dívidas de campanha do PT. Os valores teriam como destino o marketeiro João Santanna e a sua mulher, Monica Moura — casal já investigado na Lava-Jato.

Os agentes cumprem 49 mandados em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Bahia e no Distrito Federal — 33 de busca e apreensão, oito de prisão e oito de condução coercitiva. No Rio Grande do Sul, trata-se de um mandado de busca e apreensão, mas a Polícia Federal (PF) não divulgou o nome do alvo da ordem judicial.

Os alvos de condução coercitiva estão sendo levados às sedes da Polícia Federal (PF) para prestar esclarecimentos. Já os presos temporariamente serão encaminhados à sede da PF em Curitiba.

Mantega não estava em sua casa em São Paulo, onde os agentes cumpriram um mandado de busca e apreensão. Ele foi preso no Hospital Albert Einstein, onde acompanhava a mulher em uma cirurgia. O ex-ministro entregou-se na portaria da instituição.

Titular por mais tempo do Ministério da Fazenda, ocupando o posto por nove anos nos governos Lula e Dilma Rousseff, Mantega é economista formado pela Universidade de São Paulo (USP). Nascido na Itália e criado na capital paulista, Mantega também esteve à frente do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) na primeira administração do PT.

Leia as últimas notícias


 

 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.