Ato na Bahia

"Se preparem, porque, se necessário, eu serei candidato à Presidência", diz Lula

Mais cedo, presidente nacional do PT, Rui Falcão, afirmou que o partido ainda não tomou a decisão sobre uma eventual candidatura do ex-presidente

Por: Estadão Conteúdo
11/01/2017 - 14h30min | Atualizada em 11/01/2017 - 15h42min
"Se preparem, porque, se necessário, eu serei candidato à Presidência", diz Lula YASUYOSHI CHIBA/AFP
Foto: YASUYOSHI CHIBA / AFP  

Em seu primeiro ato público do ano, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou que se necessário vai ser candidato a presidente da República. A declaração foi dada durante o 29º Encontro Estadual do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra), em Salvador, na Bahia.

— Se preparem, porque, se necessário, eu serei candidato à Presidência. Se eu for candidato, é para a gente ganhar as eleições desse país — disse Lula, a uma plateia que usava bonés vermelhos com a inscrição "Estamos com Lula".

Leia mais
Moro aceita denúncia e Lula vira réu pela quinta vez
Lula, filho dele e mais duas pessoas viram réus na Zelotes
Ex-zelador depõe na Lava-Jato e diz que "todos sabiam" que triplex era de Lula

Mais cedo, no mesmo evento, o presidente nacional do PT, Rui Falcão, afirmou que o partido ainda não tomou a decisão sobre uma eventual candidatura do ex-presidente, mas que ele é "aspiração nacional".

Gritos de apoio

Durante o discurso, Lula era interrompido pelo público com o grito "Brasil pra frente, Lula presidente". O ex-presidente da República disse ainda que durante este ano vai andar pelo país para recuperar a imagem do PT e sua própria imagem. Ele voltou a afirmar que a legenda está sendo criminalizada pela mídia e pela Justiça.

Lula defendeu que todos que queiram ser candidatos tenham esse direito. 

— Se o Temer quer ser, ótimo, se o Serra quer ser, ótimo, se o Moro quer ser, ótimo, se os delegados querem ser, todo mudo que quer ser candidato tem direito, entre num partido e vá para as ruas — afirmou.

Defesa do crescimento

O ex-presidente fez um discurso defendendo que o país volte a crescer através de investimentos do governo. 

— O único jeito desse país voltar a crescer é o Estado investir, pode mexer no compulsório, pode aumentar a dívida. A melhor forma de diminui a dívida com proporção do PIB, é fazer o PIB crescer — afirmou.

Lula destacou que o Brasil precisa fazer a reforma agrária e voltar a usar os bancos públicos para financiar a agricultura familiar, os pequenos empresários e os consumidores.

O petista também afirmou que espera desculpas daqueles que o acusam por crimes de corrupção. 

— A única coisa que eu peço a Deus é que essas pessoas, quando chegarem a conclusão de que não têm nada contra mim, eu só quero que eles peçam desculpa — afirmou Lula.

O ex-presidente afirmou que o ódio construído contra seu governo está prejudicando o Brasil. 

— Não é possível que o ódio que eles têm de mim faça com que eles prejudiquem o país — afirmou.

Na quinta-feira, Lula vai a Brasília para participar do Congresso Nacional da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE).

Leia as últimas notícias de Política

*Estadão Conteúdo

 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.