Política

Lula diz sonhar com bloco PT, PSB, PDT e PC do B para 2018

Petista voltou a repetir que tem interesse em ser candidato a presidente da República, mas afirmou que não é certa sua candidatura

Por: Estadão Conteúdo
05/07/2017 - 14h35min | Atualizada em 05/07/2017 - 15h08min
Lula diz sonhar com bloco PT, PSB, PDT e PC do B para 2018 ALEX SILVA/ESTADÃO CONTEÚDO
Lula voltou a repetir que tem interesse em ser candidato a presidente da República em 2018, mas afirmou que não é certa sua candidatura. (Foto de arquivo) Foto: ALEX SILVA / ESTADÃO CONTEÚDO  

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou, nesta quarta-feira (5), que sonha em construir um bloco de esquerda progressista para disputar as eleições presidenciais em 2018. Em entrevista à Rádio Arapuan, de Campina Grande (PB), ele citou os partidos PT, PSB, PDT e PC do B para construírem um "programa pragmático" no pleito.

O petista disse ainda que outros partidos de esquerda e "personalidades dignas" de outros partidos também podem se juntar ao bloco. 

— É muito difícil hoje imaginar que você possa fazer a aliança política que foi feita em 2010, mas é muito complicado também imaginar que um partido sozinho tem força para ganhar as eleições — declarou o ex-presidente.

Leia mais:
Lula pede renúncia de Temer e antecipação de eleições presidenciais diretas
Absolvição de Vaccari deve protelar decisão de Moro sobre Lula
Lula e Marcelo Odebrecht depõem nesta terça-feira como testemunhas de Eduardo Cunha e Funaro

O petista voltou a repetir que tem interesse em ser candidato a presidente da República em 2018, mas afirmou que não é certa sua candidatura. 

— Primeiro, vamos ver se sou candidato, se o partido vai me lançar candidato, depois é que vamos começar a conversar — disse.

 Lula ainda afirmou que não quer voltar a governar, mas a "cuidar do povo".

Na expectativa de ter a sentença proferida pelo juiz Sergio Moro no caso do triplex do Guarujá nos próximos dias, o ex-presidente afirmou que já provou sua inocência e pediu provas para embasar uma condenação. Uma eventual condenação, se confirmada em segunda instância, impediria o petista de disputar as eleições. 

— Você não pode só por conta de delação culpar, porque tem muito delator mentindo. Os procuradores da Operação Lava-Jato estão numa encalacrada — disse Lula. — Eu já provei minha inocência, euestou querendo é que eles provem minha culpa — completou.

Ex-presidente afirma que Temer é "uma margem de erro" 

No dia em que o presidente Michel Temer (PMDB) apresenta sua defesa na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, Lula afirmou que a mesma regra que defende para si vale também para o peemedebista. 

— Se tem uma acusação contra o Temer tem que ser investigada. Se ele for investigado, tem que ser julgado e, se for culpado, condenado. A regra é essa para mim, para ele, para você e para qualquer pessoa desse país — afirmou.

Comentando as denúncias contra o presidente e o senador Aécio Neves (PSDB-MG), motivadas pelas delações da JBS, Lula afirmou que os dois estão "provando do veneno" que produziram e que o PMDB e o PSDB estão "colhendo o ódio que plantaram". 

Em relação aos índices de aprovação do presidente da República, o petista afirmou que Temer "é uma margem de erro". 

— Um cara que só tem 3% não tem nada — afirmou.

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.