Afastamento

Segundo pedido de impeachment de Sartori feito pelo Cpers deve naufragar

O sindicato dos professores afirma que o pedido não foi motivado pela delação da JBS, mas enfatiza que a denúncia precisa de averiguação 

22/05/2017 - 20h51min | Atualizada em 22/05/2017 - 21h24min
Segundo pedido de impeachment de Sartori feito pelo Cpers deve naufragar Leandro Molina/Divulgação
Foto: Leandro Molina / Divulgação  

Na onda das revelações que vieram à tona com a delação dos donos da JBS, o Cpers entregou nesta segunda-feira na Assembleia um novo pedido de impeachment do governador José Ivo Sartori. Em 19 de janeiro, o primeiro foi arquivado pela então presidente do Legislativo, Silvana Covatti (PP).

O documento entregue ao chefe de gabinete de Edegar Pretto (PT), Elton Mariani, cita afirmação do delator Ricardo Saud sobre o pedido de propina de Aécio Neves (PSDB-MG) e o repasse de R$ 1,5 milhão como doação legal à campanha de Sartori. A acusação é frágil para sustentar um pedido de impeachment. A doação foi feita por transferência bancária e contabilizada. Sartori, assim como Ana Amélia Lemos (PP), Vieira da Cunha (PDT) e Tarso genro (PT), que também receberam contribuições, não tinha como saber que o dinheiro da JBS era sujo. 

Leia mais:
Delator diz ter repassado R$ 1,5 milhão de propina de Aécio para campanha de Sartori
Cpers apresenta novo pedido de impeachment de Sartori 
Ao menos cinco políticos gaúchos teriam recebido propina da JBS

Pretto encaminhou o requerimento ao procurador Fernando Ferreira, para que emita um parecer técnico.

— Não esperem de mim qualquer irresponsabilidade — diz Pretto. 

A vice-presidente do Cpers, Solange Carvalho, afirma que o pedido não foi motivado pela delação, mas a informação foi inserida porque precisa de averiguação. O requerimento, que é igual do apresentado no ano passado, se baseia em cinco pontos, incluindo o parcelamento de salários e pedaladas fiscais. 

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.