Segurança Já

Colégio Dom Bosco realiza protesto após morte de mãe de aluno 

Centenas participam da Passeata Pela Paz + Segurança neste sábado

Por: Zero Hora
27/08/2016 - 12h02min | Atualizada em 28/08/2016 - 18h23min
Colégio Dom Bosco realiza protesto após morte de mãe de aluno  Felix Zucco/Agência RBS
Foto: Felix Zucco / Agência RBS

Aos gritos de "paz, paz, paz, Porto Alegre pede paz", quase 2 mil pessoas saíram em caminhada pela região do Colégio Dom Bosco, na zona norte da Capital. Denominado de "Passeata Pela Paz + Segurança", o ato ocorre depois da morte de Cristine Fonseca Fagundes, 44 anos, vítima de um latrocínio (roubo com morte) nas proximidades da instituição. 

O evento começou pouco após as 11h, saindo da frente da Faculdade Dom Bosco. A maioria dos manifestantes atendeu ao apelo da organização e foi vestida de branco. Boa parte deles carregava cartazes com a pauta do momento: mais segurança e menos violência. Alguns também pediam a reforma do Código Penal.

À frente do grupo ia um balão de gás com os dizeres "Socorro segurança urgente" e "Socorro segurança já". Além de alunos e pais de alunos, a multidão era composta por membros da comunidade salesiana e da vizinhança do colégio.

Leia mais:
Vendedora festejava dia de bons negócios
Maratona de crimes e de terror antecedeu morte
Suspeito de matar vendedora se entrega à Justiça

– A gente não sabe mais o que vai acontecer, é isso que dá mais medo – comentou Odete Kravinzki, mãe de dois alunos do colégio. – Não existe mais essa coisa de evitar rua deserta e escura, sabe? Não tem mais lugar e horário para sentir medo.

Carregando um cartaz com a palavra "paz" escrita com purpurina verde e amarela, Tassiane Rebelo, 14 anos, não estuda no Dom Bosco, mas tem três amigas que estudam e por isso fez questão de ir à passeata demonstrar seu apoio.

– É muito triste o que aconteceu e poderia ter acontecido com qualquer um, em qualquer escola da cidade. Por isso é importante estar aqui, para dar força – disse.

A passeata durou cerca de uma hora e terminou no local onde Cristine foi morta, na Rua Ari Marinho, próximo à esquina com a Eduardo Chartier, com uma oração e salva de palmas.

Na segunda-feira (29), antes do início das aulas, os alunos receberão fitinhas preto e brancas para prenderem na roupa e balões para amarrar nas grades do colégio. Uma oração está programada. As provas marcadas para a segunda e terça foram canceladas.

Leia as últimas notícias do dia

 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.