Obituário

Aos 90 anos, morre o Nobel de Literatura italiano Dario Fo

Escritor foi internado há 10 dias por uma insuficiência respiratória ligada a uma doença pulmonar existente há anos

13/10/2016 - 08h03min | Atualizada em 13/10/2016 - 08h46min
Aos 90 anos, morre o Nobel de Literatura italiano Dario Fo Gabriel Bouys/AFP
Dario Fo Foto: Gabriel Bouys / AFP

No dia em que a Academia Sueca anunciará o novo Nobel de Literatura, morreu nesta quinta-feira em Milão, aos 90 anos, o vencedor da premiação em 1997, o italiano Dario Fo. De acordo com o diretor do departamento de Pneumologia do hospital Sacco, Luigi Legnani, onde Fo estava hospitalizado, o escritor havia sido "internado há 10 dias por uma insuficiência respiratória ligada a uma doença pulmonar existente há anos – uma doença silenciosa e progressiva". As informações são da agência Ansa.

Escritor, dramaturgo, ator, diretor, pintor, cenógrafo, Fo era um artista completo e, como se definia, "um giullare" moderno. A expressão refere-se aos artistas medievais que faziam de tudo ou ainda aos bobos da corte que entretinham a realeza.

Leia mais
Mostra reúne trabalhos que ilustraram livros do escritor Carlos Urbim
Ricardo Chaves lança livro com suas histórias (e imagens) no fotojornalismo
Leandro Karnal, Thalita Rebouças e Adriana Calcanhotto são atrações da Feira do Livro de Porto Alegre

Ao lado da esposa, Franca Rame, o italiano tornou-se um dos maiores símbolos da cultura local, e também um dos mais destacados ativistas do país. No dia em que foi premiado com o Nobel, em 9 de outubro de 1997, a academia lhe entregou a honra dizendo que, "seguindo a tradição dos 'giullares' medievais, ele delega poderes ao restituir a dignidade aos oprimidos". Fo deixa um filho, Jacopo, fruto de seu longo casamento com Rame – falecida em 2013.

Inconformista e observador de sua época, Fo, que também era ator, ganhou fama em 1969 com a peça Mistério bufo, uma epopeia sobre os oprimidos inspirada na cultura medieval. Na obra, o herói, um malabarista, estimula a rebelião com o sorriso.

A convocação à rebelião contra os poderosos e os hipócritas, com uma linguagem criativa, é um tema constante da obra Dario Fo.

Entre suas obras teatrais mais conhecidas estão Ninguém paga, ninguém paga e A Morte acidental de um anarquista – esta última foi apresentada em setembro, em POA, protagonizada por Dan Stulbach.

* Com informações de Agência Brasil e AFP


 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.