Música

Yamandu Costa e Renato Borghettti lançam CD e DVD em que celebram a música regional 

O projeto "Borghetti Yamandu" comemora também a amizade de longa data dos dois artistas

Por: Alexandre Lucchese
11/09/2017 - 07h00min | Atualizada em 11/09/2017 - 07h00min
Yamandu Costa e Renato Borghettti lançam CD e DVD em que celebram a música regional  Eduardo Rocha/Divulgação
Foto: Eduardo Rocha / Divulgação  

Os dois mais conhecidos nomes da música instrumental do Rio Grande do Sul se reuniram para gravar, em CD e DVD, o projeto Borghetti Yamandu. O lançamento será no próximo dia 18, às 19h, na Cinemateca Capitólio, em Porto Alegre, com a exibição do documentário que registra encontros em estúdio entre o violonista e o gaiteiro – acompanhados de Guto Wirtti (contrabaixo) e Daniel Sá (violão) – e conversas da dupla na idílica Barra do Ribeiro, onde Borghetti se aquerenciou há mais de duas décadas. 

O clima é de improviso e de despojamento. Não houve ensaios ou grandes preocupações com cenário e figurino – em uma das faixas, Yamandu toca com uma despreocupada camiseta do Wolverine.

Leia mais:
VÍDEO: a cavalo e de barco, Renato Borghetti apresenta Barra do Ribeiro, recanto onde vive
VÍDEO: Renato Borghetti leva crianças da Fábrica de Gaiteiros ao Multipalco do Theatro São Pedro
Yamandu Costa e Alessandro Penezzi lançam "Quebranto"
Yamandu Costa se junta a Mario Adnet e Paulo Jobim para homenagear Tom Jobim

– Esse DVD é o registro de uma amizade e de uma parceria que acontece há muitos anos de forma natural, espontânea. O repertório são as músicas que a gente sempre tocou junto – conta Borghetti.

Sétima do Pontal (Renato Borghetti e Veco Marques), Redomona (Edson Dutra e Frutuoso Araújo), La Casa del Chamamé (Antonio Tarrago Ros) e Taquito Militar (Mariano Mores) são algumas das composições. Os títulos não deixam dúvida de que o foco está sobre a música regional do Estado e dos países platinos.

– É um dueto que carrega a música regional e tradicional – avalia Yamandu. – Quando comecei a tocar, o Renato já era uma referência. Ele foi responsável por muita coisa na minha carreira. Mostrou para mim que não é preciso perder as características de origem para fazer uma música universal – completa o violonista.

Yamandu, 37 anos, acompanhou pela primeira vez Borghetti, 54, quando ainda era adolescente, em um show em São Paulo. 

– Foi uma virada na minha carreira. Nessa viagem, conheci a produtora com quem trabalho até hoje. Um ano depois, estava morando por lá – lembra Yamandu.

Para Borghetti, o violonista incorporou uma grande contribuição à música gaúcha:

– Yamandu é o responsável por trazer o violão de sete cordas para a nossa tradição. Era um instrumento mais ligado ao choro e outros gêneros. Ele e outros músicos dessa geração têm esse mérito.

Em mais de duas décadas de amizade, os músicos tocaram esporadicamente em alguns projetos, mas também informalmente, por puro prazer. Com direção de Rene Goya Filho, o DVD tem registros de estúdio gravados entre 11 e 14 de março de 2011, em Porto Alegre, que ficaram engavetados até um financiamento do edital Natura Musical viabilizar a edição. Entre as faixas, há depoimentos recentes da dupla, registrados no dias 20 e 21 de fevereiro de 2017, na Barra do Ribeiro. Os músicos contam um pouco de sua história juntos, detalham características das composições e explicam singularidades da música regional.

Para completar o clima de celebração e amizade, cenas de um grande churrasco finalizam o filme, embora abaixo de mau tempo. A chuva apaga o fogo de chão, mas eles dão um jeito de transportar e assar um imenso costelão na churrasqueira. São bons de improviso na música e na vida.

BORGUETTI YAMANDU
CD e DVD com 14 faixas
, R$ 39,90 (CD) e R$ 59,90 (DVD), à venda a partir de 18 de setembro em bit.ly/yamborgcd e bit.ly/yamborgdvd.
Sessão de lançamento dia 18 de setembro, às 19h, na Cinemateca Capitólio (Demétrio Ribeiro, 1.085), com entrada franca.

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.