De passagem

As visitas de Ariano Suassuna ao Rio Grande do Sul

Escritor esteve cinco vezes no Estado nos últimos oito anos

23/07/2014 | 18h09
As visitas de Ariano Suassuna ao Rio Grande do Sul Ricardo Duarte/Agencia RBS
Foto: Ricardo Duarte / Agencia RBS

Apesar de acreditar que só existem dois tipos de voos: os terríveis e aqueles em que o avião cai, o paraibano Ariano Suassuna até que viajava bastante. Nos últimos oito anos, ele esteve no Rio Grande do Sul pelo menos cinco vezes.

Escritor morreu nesta terça-feira, em Recife
Relembre as principais obras de Suassuna
As adaptações das histórias do mestre para o cinema e para a TV
Cintia Moscovich: "Um gentil raposo" 

Em junho do ano passado, às vésperas de completar 86 anos, participou da Feira do Livro de Canoas. Na ocasião, ele criticou a chamada "cultura globalizada":

– O Brasil tem uma unidade em sua diversidade. A gente respeita a cultura gaúcha, nordestina, amazônica. O que é ruim é este achatamento cosmopolita. Você liga a televisão e não consegue distinguir se um cantor é alemão, brasileiro ou americano, porque todos cantam e se vestem do mesmo jeito.

Em outubro de 2009, uma experiência diferente: palestrou em um congresso voltado para a gestão de pessoas. O escritor aproveitou a viagem para conhecer Ricardo Barberena, professor de Letras do programa de pós-graduação da PUCRS que havia publicado um texto em ZH em sua homenagem:

– Até hoje, somente quatro textos escritos sobre mim me emocionaram. Três deles foram escritos por pessoas próximas, o que faz com que eu desconfie da sinceridade. O outro foi o de Ricardo. E o artigo dele é literariamente bem escrito – afirmou.

Durante a Feira do Livro de 2008, Suassuna presenteou os porto-alegrenses com uma de suas concorridas aulas-espetáculo. Nela, apresentou o Arraial, grupo artístico que desenvolve, em música e dança, o espírito prático de suas ideias.

Essa não foi sua estreia na Feira. O escritor já havia participado do evento em 2005, depois de recusar convites da Câmara Rio-Grandense do Livro por sete anos:

– Fico meio azuretado. É muito longe: seis horas e meia de avião – declarou.

Meses antes, ele havia participado da Jornada Nacional de Literatura de Passo Fundo, quando recebeu o título de Doutor Honoris Causa, o primeiro outorgado pela Universidade de Passo Fundo.

Leia todas as notícias de Zero Hora 

VEJA TAMBÉM

     
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.