Fail

#querovernacopa: as previsões para a Copa que não se confirmaram

Teve Copa, mas os problemas não foram tantos e nem tão graves como o esperado

14/07/2014 | 05h01
#querovernacopa: as previsões para a Copa que não se confirmaram Montagem sobre fotos de Reprodução, ROBSON FERNANDJES e LARA ELY/Der Spiegel,  ESTADÃO CONTEÚDO / Agência RBS
Foto: Montagem sobre fotos de Reprodução, ROBSON FERNANDJES e LARA ELY / Der Spiegel, ESTADÃO CONTEÚDO / Agência RBS

A tão famigerada Copa aconteceu. E não foi o caos como muita gente imaginava. Abaixo, confira uma lista de previsões para a Copa do Mundo no Brasil que não se confirmaram:

— Protestos

O que era imaginado:

Capa de revista alemã estampa, na capa, a manchete "Gol Contra do Brasil". E prevê notícias sobre protestos, greves, problemas com infraestrutura e violência:

Guten Morgen! Der neue #SPIEGEL ist da und kann heruntergeladen werden. http://t.co/vWJ4tFm62F Einen schönen Sonntag. pic.twitter.com/Dl2hedYNGh



O que aconteceu:

O gigante acordou e não queria a Copa. Mas teve. Em Porto Alegre, o maior protesto durante a competição foi realizado no dia da abertura. Já no Rio de Janeiro, houve bloqueio de uma avenida de Copacabana por menos de mil manifestantes. Lá, também não tiveram registros de violência.

O protesto mais significativo ocorreu no local da abertura da Copa, em São Paulo, quando manifestantes tentaram chegar à Arena Corinthians. Algumas pessoas se feriram no confronto com policiais, mas, antes do meio-dia, o grupo já havia se dispersado e não ocasionou maiores transtornos para o jogo.

— Caos aéreo

O que era imaginado:

O que aconteceu:

Nenhum aeroporto das cidade-sede ficou pronto para o evento. Ainda assim, não foi uma anarquia. Em Porto Alegre, o Salgado Filho ficou fechado por 12h13min, por conta das condições meteorológicas, durante todo o período da Copa. Mas, nos dias de jogos, fez sol na capital gaúcha, o que evitou muitos problemas com a neblina no aeroporto.

Mesmo o aeroporto de Fortaleza, que teve de construir um terminal provisório, não enfrentou maiores problemas. Em Campinas, São Paulo, o craque Drogba até fez uma selfie para registrar a inauguração de um novo terminal no aeroporto de Viracopos, construído para a Copa.

— Caos no trânsito

O que era imaginado:

O que aconteceu:

O que se viu no trânsito de Porto Alegre foi uma antecipação dos horários de pico nos dias de jogos — eram frequentes os congestionamentos, em direção ao centro, nas avenidas João Pessoa, Borges de Medeiros e Praia de Belas, devido aos bloqueios do Caminho do Gol.

Segundo a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), houve problemas somente no eixo Tronco as avenidas Tronco e Moab Caldas e a Rua Cruzeiro do Sul que recebiam os ônibus desviados da Avenida Pe. Cacique nos dias dos jogos. As rotas alternativas para chegar à Zona Sul, como as avenidas Azenha e Terceira Perimetral, registraram trânsito acentuado. O ponto mais crítico foi registrado em Holanda x Austrália, o primeiro confronto pela Copa em dia de semana na Capital.

Durante as partidas, principalmente as da Seleção Brasileira, o que se viu foram avenidas vazias.

— Violenta invasão argentina

O que era imaginado:



O que aconteceu:

De fato, ocorreram incidentes, mas não foi um Deus nos acuda como esperando. A esmagadora maioria da torcida Argentina tomou conta das ruas da Capital e soube fazer uma bonita festa.

Em Porto Alegre, desde o início da Copa, 89 ocorrências foram registradas envolvendo estrangeiros e 35, brasileiros. Grande parte dos casos são de furto ou compra e venda de ingressos. Os argentinos lideraram o quadro: 28 se envolveram em incidentes. Porém, o saldo, para autoridades responsáveis pela segurança, foi positivo.

— Copa foi comprada

O que era imaginado:


O que aconteceu:

Muita gente acreditava que a Copa havia sido comprada. Bom, se foi, não foi pelo Brasil, né?

VEJA TAMBÉM

     
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.