A volta do ídolo

Renato é apresentado e afirma: "O Grêmio tem um bom grupo"

Técnico afirma que vai cobrar doação dos jogadores

Por: Adriano de Carvalho
19/09/2016 - 12h16min | Atualizada em 19/09/2016 - 13h59min
Renato é apresentado e afirma: "O Grêmio tem um bom grupo" Fernando Gomes / Agência RBS/Agência RBS
Foto: Fernando Gomes / Agência RBS / Agência RBS

Renato está de volta a casa. O técnico gremista recebeu, das mãos do presidente Romildo Bolzan Júnior, a camiseta com o número 113 (alusivo ao aniversário do clube) e logo passou a responder às perguntas dos jornalistas. Apesar de recentes críticas à qualidade do grupo de jogadores, tratou de elogiar as peças que tem à disposição.

— O papel do treinador é sempre procurar fazer com que o time jogue bem em busca de vitórias. Tem muitos times que jogam bem e os resultados não aparecem. Um treinador, em um grande clube como o Grêmio, se não obtiver os resultados, infelizmente sobra para ele. O Grêmio tem um bom grupo, acho que merecia estar bem melhor colocado no Brasileirão — afirmou, antes de completar:

Leia mais
Valdir Espinosa comemora retorno ao Grêmio: "Era um sonho"
Bolzan diz que opção por Renato Portaluppi não é lance político
Grêmio terá três suspensos na partida contra a Chapecoense

— Vou procurar contribuir, junto com o grupo, para que a gente comece a buscar as vitórias. O treinador, em grande clube, vive de vitórias. Faltam menos de três meses para acabar o ano. Não é porque está chegando o final do campeonato que não precisa correr, se doar. Se eles são pagos, é para trabalhar.

O treinador garantiu que tem se informado sobre a situação do Grêmio, mas afirmou que conversará com Roger para obter mais detalhes sobre o grupo de jogadores. Renato foi técnico de seu antecessor na casamata gremista quando comandou o Fluminense em 2007, ano em que Roger marcou o gol do título da Copa do Brasil para a equipe carioca.

No momento mais descontraído da apresentação, Renato foi questionado sobre trabalhar novamente com Espinosa, "o homem que lhe deu um título mundial", segundo a descrição do repórter. De imediato, o novo técnico rebateu:

— Quem deu o título fui eu. Eu que corri no campo — afirmou, provocando gargalhadas e aplausos de conselheiros no auditório da Arena.

— Fora a brincadeira, o Espinosa sempre foi como um pai para mim — completou Renato.

Sobre seus planos para o Grêmio, Renato destacou que não pretende desperdiçar o entrosamento da equipe e ressaltou que a situação do time "não é tão ruim assim". Fez questão, também, de defender o trabalho em sua passagem anterior pelo clube, em que montou uma equipe com bons resultados, mas criticada pela postura excessivamente defensiva:

— Eu era criticado por escalar três volantes, mas equipes com quatro, cinco atacantes, não chegaram nem perto dos resultados que o Grêmio conseguiu. O técnico tem de montar o time de acordo com o que tem à disposição,

Renato chega ao Grêmio para sua terceira passagem pelo clube como treinador. Na primeira, fez boa campanha no segundo semestre de 2010, levando a equipe à Libertadores. No ano seguinte, porém, os resultados não foram os mesmos e ele foi demitido. A segunda passagem foi em 2013, quando o ídolo comandou a campanha do vice-campeonato brasileiro.

Ouça a entrevista de Renato



Acompanhe o Grêmio no Gremista ZH. Baixe o aplicativo:

App Store

Google Play

*ZHESPORTES


 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.