União

Novo presidente do Conselho do Grêmio promete "trabalho em conjunto" pelo clube

Carlos Biedermann venceu Gabriel Fadel na eleição de terça-feira

19/10/2016 - 12h13min
Novo presidente do Conselho do Grêmio promete "trabalho em conjunto" pelo clube Lucas Uebel/Grêmio/Divulgação
Alexandre Bugin, vice, e Biedermann, presidente eleito para o Conselho gremista Foto: Lucas Uebel / Grêmio/Divulgação

O novo presidente do Conselho Deliberativo do Grêmio promete trabalhar para tentar diminuir a divisão política do clube. Eleito com 164 votos, Carlos Biedermann contou com o apoio de grupos de oposição à gestão de Romildo Bolzan para vencer Gabriel Fadel, que contou com o apoio do presidente e somou 154 votos.

Líder do Conselho pelos próximos três anos, ao lado de Alexandre Bugin, Biedermann disse que o órgão precisa pensar "no Grêmio em primeiro lugar" em meio aos movimentos que se articulam pela eleição presidencial.

Leia mais:
Com chance de pênaltis, Grêmio treina cobranças para enfrentar o Palmeiras
Paulistas destacam Palmeiras misto e Santos com força máxima contra a Dupla
Grêmio e Palmeiras buscam vaga à semifinal com treinadores que misturam carisma e estratégia

O senhor fez parte dos movimentos de oposição à atual gestão. Como avalia a sua vitória dentro do Conselho?
Fui eleito para o Conselho por uma chapa de centro, nem situação e nem oposição, não vinculada a nenhum dos movimentos. Com a eleição para o Conselho, houve uma coligação de diversos movimentos, entre os quais este nosso. Não era uma chapa de oposição, mas era diferente da chapa indicada pela presidência. Agora, passada a eleição, o Grêmio fica em primeiro lugar. Não há contestação ou contraponto, vamos trabalhar juntos pelo clube.

Acredita que a eleição dentro do conselho vá ter reflexos na eleição presidencial?
Não sei, é bem diferente, são dois turnos... Não acredito que nenhuma das chapas tenha problemas para passar para o pátio. E são outras pessoas. A chapa do presidente foi vitoriosa na eleição para o Conselho, há poucas semanas. Agora é diferente, com pessoas qualificadas nas duas chapas. É difícil de prever qualquer tipo de influência.

O que o conselho pode fazer com relação ao tema da Arena?
Qalquer negociação, decisão, vai passar pelo Conselho Deliberativo, como sempre teve que passar. Não participei das últimas reuniões a respeito, mas a decisão vai passar pelos conselheiros. Vai continuar sendo assim. Todo gremista tem o maior interesse de que a negociação ocorra da melhor forma. É um passo necessário, e vamos torcer para que tudo seja bem conduzido.

O senhor vê no Grêmio um clube dividido na questão política?
A gente vê que ficou dividido nos últimos anos, e isso não foi bom. Por isso, nossa proposta foi de união, de coalizão. A partir de ontem (terça-feira), vamos trabalhar todos em conjunto pelo Grêmio. É uma das minhas missões: reduzir ao máximo as tensões e divisões, para que o clube caminhe forte com todos juntos. Unidos somos muito mais fortes. Se eu puder ajudar o Grêmio a se unir, pelo menos por um tempo, vou ficar muito feliz.

Acompanhe o Grêmio através do Gremista ZH. Baixe o aplicativo:

App Store

Google Play

*ZHESPORTES


 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.