Dicas

Goleiro Renan visita concentração do Inter e aponta as sete maiores armadilhas da Série B

Aos 32 anos, atleta bicampeão da América e campeão do Mundo pelo time colorado está no Goiás desde 2013

Por: Rodrigo Oliveira
21/07/2017 - 21h17min | Atualizada em 21/07/2017 - 21h17min
Goleiro Renan visita concentração do Inter e aponta as sete maiores armadilhas da Série B Rodrigo Oliveira / Agência RBS/Agência RBS
Foto: Rodrigo Oliveira / Agência RBS / Agência RBS  

O Inter recebeu nesta sexta (21) em Goiânia uma visita ilustre de um colorado que conhece bem as dificuldades da Série B. Multicampeão pelo clube, o goleiro Renan vem enfrentando desde 2016 o calvário da segunda divisão pelo seu atual clube, o Goiás, e conhece bem as intempéries da competição.

Em entrevista à Rádio Gaúcha, na Serrinha, após o treino do Inter, Renan listou sete armadilhas que a Série B costuma apresentar para os clubes grandes que acabam sendo rebaixados.

— É diferente. As equipes sempre tem jogadores muito rápidos, e o jogo não é tão pensado como na Série A. Na Série B, o ritmo é meio louco, tem muita jogada direta e muita bola parada. Tem que se priorizar o resultado, porque jogar bem é muito difícil. Nós no Goiás talvez em alguns momentos não entendemos isso — explicou Renan, cuja equipe amarga a 15ª posição, a um ponto da zona de rebaixamento para a Série C.

Revelado pelo Inter e com passagens por clubes da Espanha como Valencia e Xerez, Renan está no Goiás desde 2013.

Leia mais:
Vila Nova x Inter: tudo o que você precisa saber para acompanhar a partida
Guto aumenta o mistério e testa novas alternativas de time em treino fechado em Goiânia
Dourado vive expectativa por primeiro jogo com portões fechados na carreira: "Será estranho"

Confira as sete maiores dificuldades da Série B listadas por Renan:

1) Jogo mais rápido e menos cadenciado

Como os times da B apostam muito na velocidade, há menos tempo para pensar as jogadas e cadenciar o jogo, algo que os times da Série estão normalmente mais acostumados.

2) Poucas informações sobre os adversários

Enquanto na Série A, todo mundo se conhece. Na Série B, algumas equipes possuem planteis com jogadores desconhecidos, que utilizam, portanto o efeito surpresa.

— A gente vai conhecendo algumas equipes só no decorrer da competição — explica Renan.

3) Muita ligação direta

As equipes da segunda divisão fazem muito mais lançamentos diretos da defesa para o ataque do que os times da primeira. O balão para frente acaba sendo uma jogada frequente.

4) Bola parada tem peso mais importante

Com menos jogadas pelo chão, ter uma boa jogada de bola parada é importante para se dar bem na Série B.

5) Vencer é mais importante do que jogar bem

Na opinião de Renan, a conquista dos três pontos é mais importante do que apresentar um futebol bonito.

— Na Série B, tem que se priorizar o resultado, porque jogar bem é muito difícil — resume o goleiro.

6) Equilíbrio das equipes

Os times na segunda divisão são muito nivelados, ao contrário da Série A.

— Na Série B, é muito mais difícil de apontar os favoritos. Na Série A, é comum apontrmos quatro ou cinco times. Na Série B, geralmente apontamos pela camisa e pela história e, às vezes, nao se consegue transformar isso em resultado.

7) Logística complicada

As viagens são longas para todos os times, mas as equipes oriundas da Série A normalmente estão menos acostumadas com os deslocamentos complicados para as cidades mais distantes e acabam sentido mais dificuldades.

Leia outras notícias sobre o Inter

Acompanhe o Inter no Colorado Gaúcha ZH. Baixe o aplicativo:

Android

iOS

*RÁDIO GAÚCHA

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.