Planalto

Temer diz que indicará novo ministro da Justiça "logo, logo"

Nesta terça-feira, Temer recebeu o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Carlos Velloso, um dos cotados para assumir a pasta

Por: Estadão Conteúdo
14/02/2017 - 23h43min | Atualizada em 14/02/2017 - 23h43min

O presidente Michel Temer disse nesta terça-feira que vai anunciar o novo ministro da Justiça "logo, logo". A declaração foi dada após ele participar de um evento organizado pela Frente Parlamentar da Agropecuária, numa casa de festas em Brasília.

Leia mais:
Temer diz que vai seguir conversando com Carlos Velloso
Temer nega censura e afirma compromisso com liberdade de imprensa
Gilmar Mendes diz que plenário do STF deve decidir sobre posse de Moreira Franco 

Durante o dia, Temer recebeu o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Carlos Velloso, um dos cotados para assumir a pasta, no Palácio do Planalto. O ex-ministro foi levado para conversar com Temer pelo senador Aécio Neves (PSDB-MG). Durante a conversa, o jurista não chegou a ser formalmente convidado por Temer para comandar a pasta, mas o porta-voz Alexandre Parola, disse que "o presidente seguirá conversando com o antigo amigo".

O nome de Velloso, que tem o apoio de tucanos, ganhou força esta semana. Já o do deputado Rodrigo Pacheco (PMDB-MG) está praticamente descartado após a divulgação de um vídeo no qual criticou o poder de investigação do Ministério Público Federal, responsável pelas investigações da Operação Lava-Jato.

Na semana passada, Temer havia dito que iria levar "muitos dias" para escolher o novo ministro. A ideia inicial é que ele iria esperar a aprovação do nome de Alexandre de Moraes para o STF para depois escolher o seu substituto. A sabatina de Moraes na Comissão Constituição de Justiça (CCJ) está marcada para a próxima terça-feira.

Em seu discurso, Temer agradeceu o apoio que os parlamentares da frente, formada por 244 senadores e deputados, havia dado à aprovação das reformas propostas pelo governo no ano passado. 

— Imaginamos que levaríamos dois anos para realizar as reformas imprescindíveis para o País, com o entusiasmo da frente, verificamos que em seis meses já havíamos aprovado a PEC do Teto dos Gastos, encaminhado modernização legislação trabalhista — disse.

O presidente também afirmou que vai precisar do apoio do grupo para apoiar a reforma do sistema tributário.

Também presente na cerimônia, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), terminou o seu discurso elogiando Temer, ao constatar que os ministros da Agricultura, Blairo Maggi, e do Meio Ambiente, Zequinha Sarney, estavam sentados lado a lado na mesa. 

— (São) forças políticas muito diversas que se somam tendo em vista um interesse comum. Acho que esse é um símbolo também do seu governo — disse. 

Caberá ao TSE julgar as ações que pedem a cassação da chapa formada por Temer e a ex-presidente Dilma Rousseff.

*Estadão Conteúdo

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.