Incômodo

Esgoto a céu aberto causa transtorno em frente a escola infantil na zona norte de Porto Alegre

Problema se estende desde outubro de 2016 na Rua Ulisses de Alencastro Brandão

29/06/2017 - 15h58min | Atualizada em 29/06/2017 - 16h03min
Esgoto a céu aberto causa transtorno em frente a escola infantil na zona norte de Porto Alegre Marina Pagno/Agencia RBS
Foto: Marina Pagno / Agencia RBS  

Em 14 de outubro de 2016, o diretor da Escola de Educação Infantil Estrelinha do Céu, José Luis da Cunha, ligou para o telefone 156 da prefeitura de Porto Alegre para registrar um problema em frente a instituição. Naquele dia, a rede de esgoto da Rua Ulisses de Alencastro Brandão, no bairro Sarandi, entupiu e a água começou a verter pelas bocas de lobo da via.

Equipes do Departamento de Esgotos Pluviais (DEP) até foram ao local verificar o problema, segundo o diretor. No entanto, já se passaram sete meses, e o esgoto segue causando transtornos para moradores da rua e também para funcionários, pais e alunos da escolinha.

Leia mais:
Após denúncia do Pelas Ruas, bueiro é tampado na Independência
Mesmo após consertos, buracos continuam provocando transtornos no Humaitá
Cansados de esperar, comerciantes fecham buraco aberto há um mês 

Cansada de encarar o esgoto a céu aberto todos os dias ao deixar os dois filhos na escola, Eveline Costa decidiu registrar o problema da Rua Ulisses Alencastro de Brandão no aplicativo Pelas Ruas, iniciativa da Rádio Gaúcha, Zero Hora e RBS TV. Nesta quinta-feira (29), a reportagem esteve no local e encontrou Eveline saindo da escolinha.

– Nos dias de chuva, é bem pior. Imagina isso aqui, alaga tudo, a rua fica intransitável e eu e as crianças temos que caminhar em cima do esgoto para chegar até a escola. Sem contar os insetos e o mau cheiro – relatou.

O diretor da escola infantil afirmou que as crianças não conseguem nem utilizar a faixa de segurança para atravessar a rua em frente à instituição, pois o esgoto está invadindo a área.

– Nós pagamos o esgoto para estar dentro do cano, e não a céu aberto. É quase insuportável o que a gente está vivendo aqui. Onde tem uma faixa de segurança, as crianças não podem passar por ela, porque o esgoto logo ali na frente não deixa elas passarem, elas têm que usar as laterais – desabafou José Luís.

A reportagem entrou em contato com a Secretaria de Serviços Urbanos da Capital e aguarda retorno.

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.