Aos 50

Você pode ter intolerância à lactose

Mais da metade da população brasileira apresenta rejeição ao açúcar do leite

25/11/2014 - 09h55min
Você pode ter intolerância à lactose Divulgação/Divulgação
Foto: Divulgação / Divulgação  

Aquela dorzinha frequente na barriga, náusea e sensação de inchaço pode ser intolerância à lactose. É muito comum pessoas que passaram a faixa dos 50 anos apresentarem rejeição ao açúcar presente no leite e seus derivados.

A intolerância se divide em três tipos: a mais comum acontece quando o corpo diminui naturalmente a produção de lactase, a enzima que digere a lactose; o segundo tipo aparece mais em  bebês de até um ano; e a terceira é mais rara e acontece em pessoas que não produzem a enzinam lactase desde o nascimento. Mas, nos últimos anos, um quarto tipo também está crescendo: quando o organismo para de absorver a lactose na fase adulta.

Alimentos funcionais podem prevenir doenças
Consumir vitamina C todos os dias combate o envelhecimento

– As pesquisas tratam mais das crianças do que os adultos, embora mais de 60% da população brasileira com mais de 50 anos apresente intolerância à lactose – diz a gastroenterologia Themis Reverbel da Silveira, do Hospital de Clínicas de Porto Alegre.

Entre a população negra o número pode ser ainda maior: 80% das pessoas que estão nessa faixa etária apresenta os sintomas de intolerância à lactose. No Japão, quase 100% dos idosos com mais de 80 também têm problemas com o açúcar do leite.

– Muitas queixas se confundem com outro problema comum nessa idade, a síndrome do cólon irritável. Essa doença é conhecida por causar gases e diarreia, mas são diferentes. A partir dos quatros anos, os organismos diminuem a produção da lactase. Algumas perdem mais capacidade de manter a lactase do que outras. Quando o açúcar do leite é mal absorvido pelo corpo, causa os sintomas comuns à intolerância. A síndrome do cólon irritável é desfunção do intestino que se apresenta em jovens e muito raramente em pessoas com mais de 50 anos – explica Silveira.

A especialista lembra que intolerância é diferente de alergia à proteína do leite. A intolerância é desenvolvida pelo organismo e a alergia é um fator imunológico, nasce com a pessoa.

Saiba quando procurar um especialista:

- Qualquer alimento com lactose pode fazer mal, desde o leite de vaca ou cabra até os queijos, manteiga e requeijão. Há alimentos que possuem menos lactose do que outros, como os queijos mais duros, iogurtes naturais. Quanto mais mole for o queijo e quanto mais cremoso for o iorgurte, mais percentual da proteína está presente nesses produtos.

- Diarréia, cólicas e gases são os três principais sintomas de quem é intolerante à lactose. Inchaços na barriga, náuseas e vômitos também se apresentam quando a pessoa ingere o produto com lactose. Os sintomas podem ser mais graves de trinta minutos a duas horas depois do consumo de lácteos.

- A longo prazo, a intolerância não diagnosticada pode causar irritação, depressão e problemas como acne e ganho de peso.

E o cálcio? Importantíssimo para a formação e manutenção da massa óssea junto com a vitamina D, o cálcio deve fazer parte do dia a dia dos adultos. O leite e derivados são as principais fontes de cálcio, mas podem ser substituídos. Em geral, uma pessoa com mais de 50 anos deve ingerir 1200mg de cálcio por dia, o que equivale a dois copos de leite. Uma xícara de espinafre, por exemplo, fornece 25% das necessidades diárias de cálcio. Duas colheres de gergelim correspondem a metade da necessidade diária. Couve, brócolis, ovos, amêndoas e nozes, tofu, uva passa, cenoura e laranja também são ricos em cálcio. É preciso ter atenção também aos produtos que interferem na absorção de cálcio: industrializados e embutidos com excesso de cálcio, farelo de trigo e cereais ricos em fitatos, café e os chás preto e mate podem anular o consumo de cálcio.

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.