Medalhões

Novo Hamburgo aposta em ataque com grife Gre-Nal para o Gauchão

Ex-jogadores da Dupla, Leandrão e Luís Mário buscam sucesso no Vale

Por: Adriano de Carvalho
12/01/2015 - 08h03min
Novo Hamburgo aposta em ataque com grife Gre-Nal para o Gauchão Giovani Junior/ECNH, Divulgação
Leandrão (E) e Luís Mário (D) formarão ataque do Novo Hamburgo no Gauchão Foto: Giovani Junior / ECNH, Divulgação  

O Novo Hamburgo aposta em uma dupla de ataque com grife de dupla Gre-Nal para fazer bonito no Gauchão. O ex-gremista Luís Mário e o ex-colorado Leandrão inclusive até já atuaram ao lado do técnico Roger Machado em suas carreiras – um no Grêmio e outro no Vissel Kobe, do Japão.Veja o que eles prometem fazer para que a equipe de Novo Hamburgo possa ir longe no Estadual em 2015.

Longevo, campeão de tudo e mantidos: os técnicos do Gauchão 2015

Leandrão: "Posso ajudar com experiência e gols"

Centroavante formado no Inter, no início da década de 2000, Leandrão rodou o mundo e agora jogará o Gauchão novamente pelo Novo Hamburgo. Com passagem por equipes asiáticas, o jogador até já teve de escapar de um bombardeio em Israel. Aos 31 anos, será o camisa 9 do ataque ao lado de Luís Mário na equipe de Roger Machado.

Inter x Lajeadense valerá título da Recopa Gaúcha

Por que você optou pelo Novo Hamburgo?
Recebi propostas do Nordeste e também do futebol paulista, do São Bento. Mas estava com vontade de jogar o Gauchão novamente. O Novo Hamburgo me procurou e aceitei a proposta. É uma oportunidade de ficar perto da minha família, que mora em Porto Alegre. Espero fazer um bom campeonato.

Como você pode ajudar o time?
O Novo Hamburgo está montando um time forte, mesclando experiência e juventude. A diretoria sabe montar times bons para disputar o Gauchão. Posso ajudar com experiência e gols, atuando como centroavante. Estou trabalhando forte nos treinos para ajudar a equipe a fazer uma boa campanha.

Teco lembra sofrimento com lesões e fala de chance no São Paulo-RG

E como é o estilo do Roger nos treinos?
É um cara determinado. Nós jogamos juntos, inclusive, no Japão, no Vissel Kobe em 2004. Pelos treinos que fiz aqui, o Roger já demonstrou ter bastante conhecimento para armar o time.

E a dupla de ataque com Luís Mário?
Ele tem uma história bonita no futebol, fez muito sucesso no Grêmio e tem qualidade. Com a idade que tem, se esforça bastante, puxa fila em treino físico e isso dá um ânimo maior para o pessoal mais jovem para se determinar nos treinos. Tem tudo para dar certo. Vamos dar o nosso melhor.

Você rodou por vários países asiáticos.
Joguei na Coreia do Sul, no Japão e em Israel. Nesse último, tive até de escapar de um bombardeio. Estava tranquilo e vieram nos avisar que a cidade estava sendo atacada. Fiquei escondido por duas horas em um bunker até passar o perigo.


Luís Mário: "Tenho condições de jogar em alto nível"

Aos 38 anos, o atacante Luís Mário desistiu da aposentadoria para defender o Novo Hamburgo no Gauchão. Apelidado de “Papa-léguas” nos tempos de Grêmio por sua intensa velocidade, que ajudou a equipe então treinada por Tite a levantar o tetra na Copa do Brasil em 2001. O veterano aposta na mescla de juventude e experiência da equipe de NH no Estadual.

São José aposta em ex-atacante de Felipão como técnico no Gauchão

Por que você desistiu de se aposentar?
Para voltar a jogar no Rio Grande do Sul, onde tive as maiores alegrias da minha carreira. Tenho uma filha gaúcha (Pietra, 8 anos), moro em Porto Alegre e acho que ainda tenho condições de jogar em alto nível. Já estou treinando há um mês e meio aqui no Novo Hamburgo. São estes os aspectos que me fizeram voltar a jogar.

E sua velocidade ainda é a mesma?
Lógico que não é a mesma que eu tinha quando jogava no Grêmio. Quando você fica mais experiente, sabe a hora de arrancar e entrar em diagonal para fazer o gol. É algo que eu não tinha quando era mais novo. E também vou jogar mais próximo do gol, é claro. Antes eu precisava voltar mais para marcar.

Ex-Inter, Magrão acerta com o NH: "Vamos incomodar a dupla Gre-Nal"

Novo Hamburgo vai incomodar no Gauchão?
A tendência é essa. Estamos treinando muito aqui. Tivemos toda a preparação na fase muscular, estamos no quinto dia da pré-temporada, com um condicionamento muito bom. E estão chegando jogadores de qualidade, mesclando juventude e experiência. Da forma que estamos treinando, chegaremos bem preparados para fazer um belo Gauchão.

E você seguirá atuando até os 40 anos?
Tudo vai depender destes quatro meses no Gauchão. Nos últimos anos em que eu vinha jogando, nunca tive uma pré-temporada. Jogava um ou dois meses e já me colocavam para jogar. Fazia umas cinco partidas em um nível bom e depois eu caía fisicamente por não ter esta base. Agora, estou tendo toda esta preparação. E isso faz muita diferença na hora da competição.

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.