De Fora da Área

Kiko Balestrin: Grêmio, vais perder meu filho. Te liga!  

Confira o apelo de um pai que está preocupado com o filho que ameaça deixar de torcer para o Tricolor

23/09/2016 - 06h05min | Atualizada em 23/09/2016 - 06h05min
Kiko Balestrin: Grêmio, vais perder meu filho. Te liga!   Carlos Macedo/Agencia RBS
Foto: Carlos Macedo / Agencia RBS

O Carlo vai fazer 15 anos em 21 de novembro e não aguenta mais torcer para ti. São anos de sofrimento, anos sem títulos de expressão, e nem vou falar do épico título em Recife, com sete jogadores. Até porque naquela época, com quatro anos, ele não tinha noção da paixão que viria a ter por ti. Mas agora, com quase 15, apaixonado, sofre com a flauta dos colegas e amigos colorados, minoria é verdade, mas se incomoda, pois o adversário local, que não existia para o Exterior até 2006 (o Grêmio que era internacional), passou a ganhar alguma coisa, a ter os mesmos títulos que tens, justo no período da formação da personalidade dele. E tu, Grêmio, nada de nada, a não ser um Gauchão de vez em quando. Ridículo desde que meu filho nasceu. Isso que o avô dele é conselheiro jubilado, uma honra para a família, mas nem isso está segurando meu filho.

Leia mais:

Catia Bandeira: quero que o Inter seja um (bom) exemplo para a minha filha
Norton Kappel: "Vamos falar sobre a Segundona" 
Diori Vasconcelos: a toalha escorrega pelos dedos

Tenho incentivado-o, estimulado-o a continuar te apoiando, apesar dos sucessivos maus e inexplicáveis resultados. Mas não consigo ter subsídios, argumentos consistentes para convencê-lo a continuar a gritar por ti. Sei que hoje, nesta gestão, estás te reequilibrando, te reorganizando administrativa e financeiramente, preparando-se bem para um futuro próximo, depois das mazelas que te deixaram. Mas ele não quer saber disso. Ele quer gols, vitórias, títulos, o que até hoje não viveu ao longo da vida. Na TV, ele tem visto jogos da NFL. Quando dos jogos na Arena, como neste contra o Atlético PR, ele te apoiou até o fim, mas foi ao banheiro duas vezes "para tentar se acalmar".

No final, após todo aquele sofrimento, ele me disse: "Eu não vou vir mais, pai. O Grêmio só me irrita". Então, Grêmio, te liga e faz alguma coisa. Não deixa com que o Carlo e milhares de colegas, amiguinhos e jovens torcedores deixem de ser seus. Seja aquele Grêmio de outrora que metia medo nos adversários no Olímpico. Aquele Grêmio que brigava até o final das partidas com muita garra, atrás dos resultados desejados. Aquele Grêmio que foi líder do ranking da CBF por muito tempo pelas conquistas obtidas. Se não, essa geração que ainda torce por ti vai acabar e não terás mais quem te conduza pela eternidade.

Ficarás apenas como um time de PlayStation dessa geração virtual.

*ZHESPORTES

 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.