Banco Central

CNI diz que aceleração da queda dos juros "ajudará a recuperar consumo e investimentos"

Apesar de considerar a medida positiva,  a instituição considera que os juros só permanecerão baixos no médio e no longo prazo se o governo cortar gastos e continuar a promover medidas que equilibrem as contas públicas

Por: Agência Brasil
11/01/2017 - 19h28min | Atualizada em 11/01/2017 - 19h28min

Após o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) anunciar redução de 0,75 ponto percentual no juro básico da economia, que agora cai para 13% ao ano, a Confederação Nacional da Indústria afirmou, por meio de nota, que a aceleração da queda dos tributos básicos ajudará na recuperação da economia.

Leia mais:
Copom corta Selic em 0,75 ponto percentual, para 13%
Como a decisão do BC pode influenciar a economia
Justificativa do BC atribuindo corte à atividade fraca vai dar o que falar

No comunicado, a entidade informou que o corte na taxa Selic foi acertado diante de um cenário de inflação em baixa e de estagnação da produção e do consumo. Para a CNI, a redução dos juros permitirá a redução do endividamento das empresas e das famílias, auxiliando na recuperação econômica. 

"A indústria considera que a redução significativa dos juros é importante para recuperar as condições financeiras das empresas e das famílias e abrir caminho à reativação dos investimentos, do consumo, da produção e do emprego", destaca o documento. 

Apesar de considerar positiva a queda da Selic, a CNI considera que os juros só permanecerão baixos no médio e no longo prazo se o governo cortar gastos e continuar a promover medidas que equilibrem as contas públicas. 

"A emenda constitucional que estabelece limites para o crescimento dos gastos do governo deve ser complementada com outras ações, como a reforma da Previdência Social, que busquem o controle da dívida pública e a estabilização da economia", acrescenta a nota.

*Agência Brasil

 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.