Turbulência pós-delação

JBS, a campeã nacional que quer abandonar o Brasil

Cerca de 80% das operações da "maior processadora de proteína animal do mundo" já estão nos EUA: 56 unidades e milhares de empregos

19/05/2017 - 22h00min | Atualizada em 19/05/2017 - 22h00min
JBS, a campeã nacional que quer abandonar o Brasil CADU ROLIM/FOTOARENA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO
Foto: CADU ROLIM / FOTOARENA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO  

Um dos trechos do anexo 9 da delação da JBS, um dos primeiros conhecidos nesta sexta-feira (19), relata que Joesley Batista estabeleceu um "canal de interlocução" com o ex-ministro Geddel Vieira Lima. Um dos pedidos enviados ao presidente Michel Temer por esse canal, relata Joesley, foi para que "interviesse no BNDES" para que o banco não vetasse a mudança da sede para o Exterior.

Sim, é difícil de entender, mas, há um ano, a "campeã nacional" erguida com dinheiro público brasileiro anunciava a mudança da sede para a Irlanda, país com baixa carga tributária.

Leia mais
A semana em que o Brasil soube da delação pós-apocalíptica 
CVM confirma investigações sobre a compra de dólares da JBS
Donos da JBS, Joesley e Wesley nunca foram mortadelas nem coxinhas 

Dono de mais de 20% das ações da JBS, o BNDESPar vetou a saída. Não adiantou muito, porque cerca de 80% das operações da "maior processadora de proteína animal do mundo" já estão nos Estados Unidos: 56 unidades e milhares de empregos. 

No final de abril, seus donos estavam em um grupo de empresários que reclamou da gestão de Maria Silvia Bastos Marques no BNDES. Agora, sabe-se o motivo.

Leia outras informações da coluna de Marta Sfredo

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.