Recolhimento de lixo

Secretário de Serviços Urbanos de Porto Alegre projeta normalização da coleta nesta segunda-feira

Ramiro Rosário afirmou que a primeira parcela referente a junho será depositada logo pela manhã

09/07/2017 - 23h01min | Atualizada em 09/07/2017 - 23h01min
Secretário de Serviços Urbanos de Porto Alegre projeta normalização da coleta nesta segunda-feira Félix Zucco/Agencia RBS
Foto: Félix Zucco / Agencia RBS  

Após a retomada parcial da coleta de lixo domiciliar em Porto Alegre neste domingo (9), o secretário de Serviços Urbanos Ramiro Rosário projetou que a normalização do que ficou pendente ocorra nesta segunda-feira (10), quando a prefeitura afirma que fará o depósito do pagamento atrasado à empresa B.A. Meio Ambiente. As informações são da Rádio Gaúcha.

No sábado, houve paralisação de funcionários devido ao atraso nos salários, o que levou ao acúmulo de lixo que começou a ser recolhido neste domingo (9). A dívida atrasada é decorrente de um pagamento pendente da gestão anterior. Ficou acordado com a empresa que os valores seriam depositados no mês subsequente à prestação do serviço, em duas parcelas.

Leia mais:
Juíza manda prefeitura pagar parcela atrasada a terceirizada do DMLU 
Mutirão de limpeza recupera terminais de ônibus na zona norte da Capital

O motivo do protesto foi a ausência do pagamento da parcela que deveria ter sido paga no quinto dia útil de julho, em torno de R$ 1,8 milhão. Segundo o secretário, esta parte será depositada ainda no começo desta segunda-feira, por isso a expectativa é de que a empresa comunique os funcionários para que saiam com os caminhões.

No entanto, a terceirizada responsável pelo trabalho entrou na Justiça contra a Prefeitura alegando e conseguiu a determinação do pagamento de R$ 3,65 milhões pelo Executivo municipal. Pela decisão judicial, o depósito deve ser feito até segunda-feira. A prefeitura alega que o valor da parcela de R$ 1,8 milhão já estava programado para entrar na conta da empresa nesta segunda-feira e, posteriormente, ser repassado aos garis. A Procuradoria-Geral do Município afirmou que houve um problema bancário e que o valor não entrou na conta.

Ramiro Rosário explicou que não há perspectiva de quando serão pagas todas dívidas deixadas pela gestão anterior com a empresa, que tem contrato até dezembro. A prefeitura de Porto Alegre deve cerca de R$ 10 milhões.

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.