Confiança

Caça à dupla Gre-Nal: Brasil-Pel manteve elenco para o Gauchão

Equipe de Rogério Zimmermann foi campeã do Interior no ano passado

Por: Adriano de Carvalho
14/01/2015 - 08h01min
Caça à dupla Gre-Nal: Brasil-Pel manteve elenco para o Gauchão Montagem sobre fotos de Adriana Franciosi/Agência RBS
Rafael Forster (E) e Nena (D) são destaques da equipe de Rogério Zimmermann Foto: Montagem sobre fotos de Adriana Franciosi / Agência RBS  

O Brasil-Pel aposta no entrosamento do grupo para fazer outra grande campanha no Gauchão. A equipe, treinada por Rogério Zimmermann desde 2012, ano passado voltou à elite e, de cara, foi campeã do Interior. Embalado pelo acesso à Série C, o time, que joga amistoso nesta quarta-feira com o Juventude no Bento Freitas, busca fazer frente à dupla Gre-Nal.

Ex-Inter, Thiago Humberto jogará Gauchão pelo Novo Hamburgo

A tarefa, é claro, não é nada fácil. Afinal, os times da Capital contam com nomes do calibre de D'Alessandro e Barcos nos grupos de Diego Aguirre e Felipão. Mas não se trata de algo impossível. Inclusive, quase ocorreu ano passado, na semifinal do Gauchão.

Cruzeiro-Poa muda quase o time inteiro para disputar o Gauchão

Jogando na Arena, o Brasil-Pel vendeu caro a vaga na decisão ao Grêmio. Com boa marcação, dificultou as ações do time da casa. E ao final do jogo, mesmo com o placar desfavorável em 2 a 1, buscou a todo o momento o gol de empate que levaria a disputa aos pênaltis.

— Nosso time tem um padrão de jogo definido, isso dá confiança. E pode nos ajudar a ter sucesso contra a dupla Gre-Nal — diz o lateral-esquerdo Rafael Forster.

Novo Hamburgo aposta em ataque com grife Gre-Nal para o Gauchão

Desde 2013 no Bento Freitas, o lateral formado na base do Inter se destaca pelas cobranças de falta. Foi um dos destaques no Gauchão e na Série D. A técnica na batida, conta Forster, surgiu ainda no Beira-Rio, quando trabalhou com Osmar Loss, hoje técnico do sub-20 do Corinthians.

— Às vezes não é cobrando 10 faltas que você fará gol. Mas se em duas ou três você tiver concentração alta, pode obter sucesso — explica Forster.

Inter x Lajeadense valerá título da Recopa Gaúcha

Outros destaques foram mantidos no Bento Freitas. A começar pelo gol, onde Eduardo Martini é soberano. Na zaga, Fernando Cardozo dá segurança. No meio-campo, a experiência dos volantes Márcio Hahn e Nunes teve o acréscimo do meia Diogo Oliveira, ex-Juventude. No ataque, a velocidade de Alex Amado e a pontaria de Nena, artilheiro na Série D com oito gols, ajudam a equipe.

— Entramos no Gauchão para buscar o título Mas trabalhamos com os pés no chão, com seriedade — resume Nena.

Longevo, campeão de tudo e mantidos: os técnicos do Gauchão 2015

"A diferença para a dupla Gre-Nal é gigantesca"
Entrevista, Rogério Zimmermann, Técnico do Brasil-Pel

Como o Brasil-Pel chega ao Gauchão?
A gente conseguiu manter a base do time. Os 11 jogadores que mais jogaram na Série D permaneceram. No Gauchão, as equipes são muito parelhas. Pega Cruzeiro, Caxias e Juventude, por exemplo, são quase os mesmos jogadores, o nível é parecido. Então, a manutenção do nosso grupo é algo que pode fazer a diferença.

Teco lembra sofrimento com lesões e fala de chance no São Paulo-RG

Você também está no clube há quase três anos.
É, cheguei em 2012. O Brasil me deu a chance de fazer um grande trabalho. Ano passado, alcançamos o acesso à Série C, mas agora o desafio é maior. As equipes são mais qualificadas. Se nós mantivermos o mesmo nível de 2014, talvez não seja o suficiente em função dos adversários. Então, precisamos evoluir ainda mais.

São José aposta em ex-atacante de Felipão como técnico no Gauchão

O Brasil pode ser campeão do Interior novamente?
Conseguimos este título ano passado. Ainda assim, não considero que naquela época a gente tinha uma equipe melhor. Ganhamos por 1 a 0 do Caxias, do Veranópolis. Mas poderia ter sido o resultado inverso. A gente tem a consciência de que a diferença não era grande. Talvez foi baseada no tempo de trabalho. E isto poderá nos ajudar novamente.

Ex-Inter, Magrão acerta com o NH: "Vamos incomodar a dupla Gre-Nal"

Vê o entrosamento como um fator decisivo?
A continuidade é positiva, os resultados te dão confiança. O jogador se sente mais seguro também. Estamos decisões há dois anos: na Divisão de Acesso, no Gauchão, na Série D, tudo mata-mata. Isso dá cancha para o teu grupo. Todos os clubes do Interior estão no mesmo nível técnico. Talvez aquelas equipes que jogaram o ano inteiro levam um pouco de vantagem.

É possível superar a dupla Gre-Nal?
A gente tem consciência de que a diferença para a dupla Gre-Nal é gigantesca. Se fizer um campeonato de pontos corridos com as 16 equipes, eles disparam. Acontece que o campeonato chega num ponto que vira mata-mata. Aí em um só jogo uma equipe com mais qualidade pode equilibrar. Em investimento, são dois mundos diferentes. Mas jogaremos pela vitória.

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.